Os sistemas de pagamentos instantâneos são uma tendência em todo o mundo. No Brasil, essa nova modalidade de transação bancária chegou recentemente e recebeu o nome de PIX.
O PIX tem se mostrado bastante vantajoso, tendo em vista que permite a realização e recebimento de pagamentos em uma questão de segundos. Para as empresas que usam o SAP, no entanto, é preciso fazer algumas adaptações para incorporar a nova transação bancária no sistema.
Se esse é o caso da sua organização, este artigo é para você! Preparamos um material completo para você. Ele explica como funciona a realização entre PIX e SAP nas contas a pagar e nas contas a receber. Veja as informações a seguir!

Formas de comunicação com as instituições financeiras

Para entender a relação entre PIX e SAP, a primeira coisa que você precisa compreender são as formas de comunicação com as instituições financeiras.
Deve-se ter em mente, portanto, que, embora o Banco Central seja quem rege o PIX, há a permissão para que cada instituição financeira possa agregar processos e funcionalidades aos seus serviços. Por isso, há variações na maneira de utilizar a transação bancária em cada banco.
Atualmente, as instituições financeiras podem seguir dois protocolos de comunicação. São eles:
  • modo KNAB: é um processo em que a empresa deve enviar um arquivo para o banco. É a forma mais utilizada pelas empresas hoje, nos processos de comunicação bancária;
  • processo de API: a comunicação é feita por API, com particularidades específicas de cada instituição financeira. Já está disponível para o PIX e outras formas de pagamentos, como o DOC, o TED, o boleto bancário etc. O processo em API se destaca por ser mais ágil e seguro que o KNAB. Por conta disso, a tendência é que as organizações migrem cada vez mais para essa modalidade de comunicação bancária.
Baseado nos dois tipos de comunicação, a Escotta desenvolveu uma solução para que as empresas que utilizam os sistemas SAP possam utilizar o PIX, de forma integrada com o ERP.

PIX e SAP no contas a pagar

No que se refere ao contas a pagar, a SAP deve disponibilizar, de forma standard, o mesmo procedimento utilizado atualmente para o boleto bancário. Provavelmente, no campo de pagamentos, haverá um campo para que se preencha a chave PIX do fornecedor. Feito isso, as contas podem ser pagas, de acordo com as datas estipuladas.
A ideia é que os processos de pagamentos sejam feitos por meio da transação F110, já utilizada para processos financeiros no SAP. Uma vez que isso for realizado, será realizado o processo de comunicação com as instituições financeiras.
Vale lembrar que as instituições financeiras poderão fazer algumas alterações no campo do arquivo. Por isso, dependendo do banco com o qual a empresa trabalha, pode ser necessário fazer algumas alterações. Depois que a transação F110 for executada, o banco fará o processamento e disponibilizará para a empresa um retorno (no caso do KNAB, um arquivo, e no do API, uma mensagem).
Esse retorno, geralmente, mostra se os processos foram concluídos com sucesso ou não. Caso haja inconsistência na chave PIX, por exemplo, isso será mostrado.
No que se refere ao contas a pagar, também é interessante saber que as cobranças poderão ser feitas via chave PIX ou QR Code. Porém, acredita-se que a SAP não desenvolverá um leitor de QR Code. Nesse caso, a Escotta oferece um desenvolvimento adicional à solução standard.

PIX e SAP no contas a receber

No que se refere à relação entre PIX e SAP no contas a receber, o processo é um pouco diferente.
O faturamento ou solicitação de adiantamento pode ser criado no SAP e posteriormente ser realizada a comunicação com a instituição financeira, com o preenchimento feito pela transação F110. 
A transação F10 gera um arquivo e segue para o processo de comunicação bancária, ou seja, enviar o arquivo gerado para a instituição financeira. O banco disponibiliza o retorno, com todas as informações enviadas no formato de QR Code. O banco pode enviar a imagem do QR Code, um link que quando clicado gera um QR Code ou um código que cria o QR Code por meio de um aplicativo.
Depois disso, o QR Code deve ser importado no SAP pela transação FF.5. Logo após, o código pode ser enviado para os clientes, para que eles possam fazer os pagamentos à empresa. Quando o cliente realizar o pagamento, o banco disponibilizará a informação. Depois, é feita a entrada do arquivo de confirmação no SAP, compensando o título no contas a receber.
Assim como já ocorre com os boletos bancários, acredita-se que a SAP não disponibilizará uma solução para a geração de QR Code nos seus sistemas. Se desejar contar com essa funcionalidade, a organização deverá realizar um desenvolvimento.
Além do QR Code, também podem ser realizadas cobranças por meio da disponibilização da chave PIX. A escolha de cada opção poderá ser feita de acordo com as necessidades de cada organização. 
Sempre pensando no melhor para a sua empresa, a Escotta oferece para você desenvolvimentos para que o uso do PIX se torne mais fácil, rápido e eficiente no sistema SAP. Assim, você poderá tirar o máximo de proveito dessa nova forma de pagamento.
Ficou com alguma dúvida sobre a relação entre PIX e SAP? Basta entrar em contato conosco! Estamos à disposição para oferecer os melhores desenvolvimentos para as operações de contas a pagar e receber no seu ERP.

Escotta - Consultoria, Projetos e Soluções SAP
Escotta - Consultoria, Projetos e Soluções SAP