A transformação ágil é uma tendência que ganha cada vez mais força nas empresas, tendo em vista que contribui para resolver problemas, identificar gargalos e otimizar os processos.

O modelo Agile foi criado para o gerenciamento de projetos caracterizados como de alta complexidade, mas que exigem algum tipo de flexibilidade, já que o escopo não é fechado e é necessário velocidade na entrega de valor. A abordagem da metodologia é incremental e iterativa.

Em suma, nas metodologias de transformação ágil, o escopo é priorizado ou construído com base no prazo e no custo contratado.

Características das metodologias de transformação ágil

Para atingir as entregas, as metodologias de transformação ágil executam ciclos curtos, chamados de sprints. Para a aplicação deles, é importante a aderência com os valores do manifesto ágil, que são os seguintes:

Escotta - Consultoria, Projetos e Soluções SAP
  • indivíduos e interação entre eles mais que processos e ferramentas;

  • software em funcionamento mais que documentação abrangente;

  • colaboração do cliente mais que negociação de contratos;

  • responder a mudanças mais que seguir um plano.

A partir desses valores, várias metodologias de transformação ágil se desenvolvem, bem como frameworks com vertentes da agilidade, tais como: Scrum, Kanban, XP, SAP Activate, Crystal etc.

Porém, independentemente da nomenclatura, todas elas devem trazer os princípios do manifesto ágil. De tal maneira, elas necessitam cumprir os seguintes tópicos:

  • ser interativas: com frequente inspeção e adaptação;

  • ser adaptativas a mudanças: atingir um alvo em movimento;

  • ter times multifuncionais: comunicação transparente e face a face;

  • ter foco: equipe concentrada em uma coisa de cada vez, até terminar;

  • ter pessoas centradas: indivíduos motivados, colaborativos e auto organizados;

  • ter aprendizado constante: é melhor falhar cedo, para aprender rápido e melhorar.

É interessante lembrar que, por sua característica, o Agile pode ser mais adequado para  projetos que exigem menos controle e mais comunicação em tempo real entre os membros da equipe.

Também é importante considerar que não existe uma solução ideal para todos os casos, mesmo dentro da mesma organização. Por exemplo: o Scrum não é uma metodologia de gerenciamento de projetos, mas sim um framework com uma estrutura a ser seguida.

Dependendo da necessidade organizacional, portanto, o Scrum pode ser combinado com outras metodologias de gestão para cobrir o gerenciamento de risco e custo, por exemplo, e assim, viabilizá-lo. A essa combinação é dado o nome de modelo híbrido de gerenciamento de projetos.

Dicas práticas para iniciar a transformação ágil em um projeto SAP

Antes de mais nada, para iniciar um projeto SAP com metodologia ágil, é preciso estar disposto a trabalhar dessa forma. De tal maneira, alguns quesitos precisam ser cumpridos. Veja, a seguir, algumas dicas!

Tenha um time dedicado para o projeto

Caso utilize o Scrum, por exemplo, o time deve estar totalmente dedicado ao projeto, em todas as etapas, como Product Owner, Scrum Master e Usuários.

Garanta a flexibilização de processos

Pensando em entregas parciais e transportes para produção nos finais dos Sprints, os processos de documentação, reuniões de Gestão da Mudança e frequência das janelas de transporte devem ser flexibilizadas, pensando na otimização das entregas.

Contratação diferenciada da consultoria

As contratações SAP são normalmente realizadas por um escopo fechado, inviabilizando a utilização de uma metodologia ágil, onde a mudança é aceita com mais facilidade.

Escotta - Consultoria, Projetos e Soluções SAP

Com todas essas premissas aceitas, o projeto poderá ser executado utilizando uma metodologia ágil. Contudo, ainda é possível utilizar ferramentas para aproximar ao máximo aos métodos ágeis de projetos tradicionais, com escopo fechado e menor flexibilização.

Para isso, devem ser seguidos os passos abaixo:

  1. Detalhamento do Escopo (Business Blueprint – BBP);

  2. Definição dos entregáveis do projeto;

  3. Priorização dos entregáveis do projeto;

  4. Definição da periodicidade dos Sprints (1 a 4 semanas);

  5. Definição das janelas de transporte do projeto.

Combinando estratégias ágeis em projetos SAP

Existem diversas estratégias de transformação ágil que podem ser desenvolvidas em projetos SAP. Observe, na sequência, alguns exemplos!

Kanban

Sistema de controle e gestão do fluxo de produção/processos em empresas e projetos que usa cartões coloridos (post-its) para gestão visual. Proporciona uma boa comunicação e andamento do trabalho em tempo real.

Também gera engajamento com o time e demonstra a evolução ou problemas enfrentados. Pode ser adaptado para uso em times de desenvolvimento SAP, testes integrados e usuário ou mapeamento de processos em um BBP, por exemplo.

Daily Scrum

É a ferramenta do Scrum contra problemas de má comunicação, momento em que o time compartilha informações e identifica eventuais barreiras. Os membros do time se reúnem por 15 minutos diariamente e respondem a três perguntas básicas:

  • o que você fez ontem?

  • o que você vai fazer hoje?

  • você tem algum impedimento?

Esse é o momento do acompanhamento dos objetivos, para o time ganhar confiança e os três pilares do Scrum se evidenciarem. São eles: a transparência, a inspeção e a adaptação.

Ele pode ser desenvolvido em todas as fases do projeto, para garantir assim a comunicação e a sinergia do time envolvido.

Product Backlog e Sprint Backlog

O Product Backlog é a única fonte de requisitos que contém as hipóteses de trabalho, conforme a priorização realizada pelo cliente. Após essa determinação, se parte para a Sprint Backlog, onde a partir das priorizações, o time realiza todas as atividades técnicas a serem realizadas e, consequentemente, temos a estimativa do que poderá ser feito no decorrer do processo.

Podemos adequar esse trabalho para o mundo SAP, trazendo as melhores práticas para a etapa de realização, onde, a partir da definição do escopo (BBP), realizamos a priorização das entregas e, em alinhamento com o time, adequamos as etapas de especificação funcional e desenvolvimento, trabalhando com o que deve ser feito, conforme priorização e estimativas de trabalho.

Sprint Review

Para o Scrum, o Sprint Review é a cerimônia onde somos responsáveis por apresentar os entregáveis planejados na última Sprint. O intuito é apresentar as funcionalidades aos clientes.

Podemos adequar esse overview da funcionalidade algumas semanas antes da entrega de valor ao cliente. Grande parte dos projetos SAP trabalha com escopo fechado, de modo que o intuito em apresentar a funcionalidade ao usuário antes do período de testes integrados servirá para conter as expectativas, alinhar ajustes finos da funcionalidade e, se necessário, avaliar manobras de solicitação de mudança para endereçar possíveis necessidades adicionais.

Certamente a transformação ágil tem tudo para otimizar processos na sua empresa e trazer mais qualidade para os projetos SAP desenvolvidos.

Continue lendo sobre temas interessantes para o seu negócio! Leia agora o nosso artigo que fala sobre workflows no SAP!

Escotta - Consultoria, Projetos e Soluções SAP