Aprenda a calcular IRPJ e CSLL pelo SAP

Siga nos!

Uma gestão tributária eficiente é fundamental para o sucesso da empresa. Não importa o quanto ela seja bem-sucedida e tenha diferencial competitivo, caso tenha problemas com o Fisco, poderá encontrar uma situação delicada no mercado.

Isso porque o pagamento constante de multas e sanções aplicadas em casos de não-conformidade geram uma série de prejuízos a curto e a longo prazo, prejudicando a rentabilidade da empresa. Por isso, é essencial saber como calcular IRPJ e CSLL — dois dos tributos mais importantes a serem pagos no ambiente empresarial.

Continue lendo e saiba a importância de fazer um planejamento tributário, veja as variáveis envolvidas no cálculo delas e como o uso do SAP ERP pode contribuir positivamente nesse processo.

Por que fazer um planejamento tributário?

O planejamento tributário cumpre uma função estratégica para qualquer empresa. Ele consiste na gestão do pagamento dos tributos obrigatórios e o estudo e avaliação das formas de diminuir a carga incidente sobre a instituição.

Obviamente, todas as medidas adotadas são feitas dentro da legalidade, de forma a evitar problemas posteriores. Todas as ações devem seguir o que consta nas normas definidas na Constituição Federal de 1988.

O planejamento se orienta, primariamente, pelo regime tributário escolhido pela empresa, que pode ser:

  • Simples Nacional;
  • Lucro Real;
  • Lucro Presumido.

Pela análise realizada, consegue-se um dos principais benefícios: a redução no pagamento de impostos, algo desejado por qualquer empresa. Um exemplo é: por meio de um calendário tributário estratégico, pode-se definir em qual período é mais atrativo para o pagamento dos tributos e, assim, pagar taxas menores e eliminar multas por atraso.

Outro ponto importante é o controle acerca dos dados tributários, evitando problemas com o Fisco e qualquer tipo de brecha que possa acarretar em multas, sanções ou demais problemas que dificultem isenções fiscais e participação em processos licitatórios.

O capital poupado por meio da diminuição do pagamento de taxas pode ser destinado a outras áreas da organização, investindo em potenciais melhorias para a empresa, gerando vantagens competitivas no mercado.

Outro benefício é a possibilidade de conhecer melhor as rotinas da organização, de forma a gerenciar gastos, verificar contas e encontrar potenciais de crescimento.

Como calcular o IRPJ e CSLL pelo SAP?

O IRPJ (Imposto de Renda sobre Pessoa Jurídica) é o imposto cobrado das empresas. Diferentemente do IRPF (Imposto de Renda sobre Pessoa Física), ele pode ser declarado anualmente ou trimestralmente.

Caso opte pela segunda opção, deve-se seguir as datas estabelecidas pela Receita Federal:

  • 30 de junho;
  • 30 de setembro;
  • 31 de dezembro;
  • 31 de janeiro.

Seu cálculo é realizado com base no modelo tributário escolhido pela empresa, tal como falamos anteriormente. Cada um deles demanda variáveis específicas, porém, normalmente é baseado no lucro obtido pela organização no ano vigente, com alíquota de 15%.

Por exemplo, quem opta pelo Lucro Real pode encontrar dificuldades, já que é necessário mensurar qual foi o lucro líquido do período vigente, bem como ajustar as adições, exclusões e compensações que estão definidas na legislação.

Outro tributo importante e que também deve ser mensurado é o CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido), que incide sobre o lucro líquido do período vigente, com alíquota de 9% sobre o LAIR (Lucro Antes do Imposto de Renda), uma espécie de medida do lucro da empresa. Sua função é auxiliar no financiamento da Seguridade Social e sua mensuração deve ser feita trimestralmente.

Ambos são tributos obrigatórios e que necessitam ser pagos nas datas estabelecidas pela Receita Federal, de forma a evitar problemas com o Fisco e pagamento de multas.

No final do período fiscal, normalmente há a apuração, avaliação e realização de cálculos por meio de diversas fontes e documentos, registrando os dados em planilhas no Excel, de forma a apurar os valores que influenciam diretamente o cálculo dos impostos.

A questão é que essas planilhas precisam conciliar uma série de dados complexos, tais como:

  • resultados;
  • rendimentos;
  • receitas e outros valores que possam ser incluídos para mensuração do lucro real;
  • encargos de depreciação de bens relacionados com a produção ou comercialização dos bens e serviços, entre outros.

Bom, observando só esse ponto, pode-se perceber que o risco de erros no processo é enorme, bem como as inserções e mensurações podem demandar certo tempo, que poderia ser direcionado de forma estratégica para outras funções.

Assim, torna-se necessário encontrar formas de garantir segurança, precisão e agilidade no cálculo do IRPJ e CSLL, a fim de evitar falhas no processo.

Por meio da solução Escotta desenvolvida no SAP, é possível automatizar o cálculo e apuração de dados importantes que estão diretamente ligados a esse tema, tais como:

  • apuração do resultado da empresa e suas adições e exclusões;
  • verificação de benefícios como o Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT);
  • doações realizadas ao fundo do idoso, atividades culturais ou artísticas;
  • cálculo do prejuízo fiscal mensurado em períodos anteriores;
  • possíveis deduções.

Assim, o cálculo do tributo a ser pago para o Fisco é feito de forma automatizada e segura, a fim de evitar erros de cálculos e agilizando essa função.

Deve-se ressaltar o benefício de não necessitar de qualquer tipo de tratamento de planilha no Excel: o dashboard realiza os cálculos automaticamente por meio das informações oferecidas.

Como deduzir ajuste no imposto?

Para reduzir o valor a ser pago, tanto no cálculo do IRPJ quanto do CSLL, é possível realizar deduções permitidas pela legislação vigente. Uma das possibilidades é a dedução sobre o ajuste realizado no valor final, por meio das adições, compensações e exclusões admitidas na legislação, tais como:

  • adições de receitas tributáveis que, por alguma razão particular, não foram incluídas nos livros contábeis;
  • adições de despesas que reduziriam o resultado, mas que, no final, são não dedutíveis;
  • encargos de depreciação de bens;
  • despesas com a alimentação de sócios, acionistas e administradores;
  • contribuições não-compulsórias;
  • doações nas modalidades expressas na Lei nº 9.249/1995;
  • gastos com PAT;
  • Lucros não realizados em estoque;
  • pagamento de benefícios de acordo com a legislação vigente, entre outros.

Esses ajustes podem contribuir para a dedução do valor a ser pago no final da apuração e, por isso, a mensuração deve ser feita adequadamente, evitando o máximo possível de erros nesse lançamento, já que pode implicar em diminuição do valor a ser economizado.

Mais uma vez, a automação cumpre um papel importante nesse processo. Por meio do uso da solução Escotta desenvolvida no SAP ERP, os cálculos relacionados às deduções também são feitos de forma automática, a fim de facilitar e agilizar o processo.

Outra vantagem do uso dessa ferramenta é a possibilidade de adaptação para a realidade da empresa, de forma a conseguir atender as especificidades e garantir um cálculo preciso e rápido, bem como permitir a visualização do resultado antes e depois dos impostos.

Achou interessante a possibilidade da implementação do SAP ERP em sua empresa para calcular IRPJ e CSLL? Então entre em contato com a Escotta, contrate nossa consultoria e tire suas dúvidas sobre o assunto.

20180212-irpj-canal-2
pagamentos de tributos e concessionárias