Automação empresarial: conheça o Robotic Process Automation (RPA)

Siga nos!

Os sistemas de automação na área empresarial são importantes para potencializar eficiência e conquistar diferencial competitivo no mercado. Lembre-se que, com o aumento no volume de informações e demandas, torna-se mais necessário e importante agilizar e otimizar processos.

Porém, muitos gestores ainda não compreendem o quanto isso é essencial para as dinâmicas cotidianas da empresa e ainda relutam na implementação de medidas mais atuais de automação.

Por isso, é imprescindível conhecer o que há de mais moderno no mercado atualmente para essa área. No post de hoje apresentaremos o Robotic Process Automation, uma solução eficiente para a sua organização. Continue lendo e tire suas dúvidas sobre o assunto!

O que é a automação empresarial?

A automação empresarial é a possibilidade de realizar processos operacionais de forma automática, sem a necessidade de um funcionário executá-los manualmente. Um sistema próprio para isso, por meio de algoritmos, permite que os inputs de dados sejam analisados, depurados e categorizados, realizando os processos que são feitos de forma repetitiva.

Quais motivos pelos quais a empresa deve investir em automação?

Essa automação permite, assim, uma série de benefícios para a organização, o que motiva a necessidade de investimentos nessa área. As principais vantagens de sua implementação são:

Aumento de produtividade

A partir do momento em que se insere a automação nos processos empresariais, há um aumento da produtividade. Isso é ocasionado, principalmente, pela possibilidade de aceleração de tarefas repetitivas.

Por exemplo, ao permitir um sistema automatizado de gerenciamento financeiro, não é necessário que um colaborador realize a ação manualmente. Isso permite que ele possa destinar sua atenção e dedicação a tarefas analíticas e que não podem ser automatizadas por sistemas com este fim.

Além disso, as tarefas, por serem feitas de forma automatizada, demandam menos tempo em sua realização, acarretando a antecipação no cumprimento de prazos.

Redução de custos

A partir do momento em que determinadas atividades operacionais podem ser realizadas de forma automatizada, não é necessário manter um colaborador exclusivo para aquela função.

Com isso, pode-se diminuir o quadro de funcionários ou direcionar aqueles que realizavam as tarefas operacionais para outras atividades, otimizando a rotina e reduzindo custos com contratação.

Inovação

O uso de automação representa a inserção de inovações no ambiente empresarial. Ela é benéfica, em primeiro lugar, pela possibilidade de otimizar processos e o uso de outras ferramentas que também dependem da automação para serem implementadas.

Além disso, essa postura gera uma tendência a pesquisar e inserir cada vez mais novas tecnologias que potencializam a gestão empresarial e a execução do trabalho. Isso gera um diferencial competitivo importante no mercado.

Por fim, a inovação é benéfica para melhorar a imagem da empresa no mercado. Principalmente para as organizações que lidam com a área de tecnologia, é essencial demonstrar para seu cliente que a empresa se dedica a acompanhar as tendências atuais do mercado.

Otimização de recursos humanos

A automação permite remanejamento de capital humano, de forma a direcionar colaboradores para tarefas mais essenciais e que realmente necessitem da intervenção humana, deixando as questões operacionais para os sistemas automatizados realizarem.

20180212-irpj-canal-2

O que é o Robotic Process Automation — RPA e qual seu papel na automação?

Uma das ferramentas atuais que potencializam a automação é o RPA — Robotic Process Automation (ou, em português, Automatização de Processo Robotizado). Seu conceito diz respeito a uma espécie de inteligência artificial, aliada a uma máquina com capacidade robusta para realizar tarefas de maneira automática.

As tarefas realizadas por esse processo devem seguir os seguintes parâmetros:

  • elas devem ser repetíveis;
  • devem ser escaláveis;
  • devem ser feitas em grande volume.

Outra característica é que os inputs devem ser semelhantes. Um sistema de RPA, caso receba dados novos, terá que ser modificado pelo profissional da área de TI para atender aos novos requisitos. As tarefas, neste caso, são realizadas por robôs (máquinas controladas por inteligência artificial) que simulam as ações de seres humanos executando atividades operacionais nas máquinas.

Os algoritmos previamente estabelecidos repetem os processos automaticamente, em alta velocidade, sem decisões humanas e com precisão.

Quais as diferenças entre RPA, inteligência artificial e machine learning?

A descrição do Robotic Process Automation se assemelha bastante com outros dois conceitos: Inteligência Artificial e Machine Learning. Mas elas se confundem? Na verdade, não. É preciso compreender as diferenças entre cada um dos termos acima.

A Inteligência Artificial está relacionada com a capacidade de realizar operações que envolvam um raciocínio semelhante ao de seres humanos. Esse tipo de tecnologia permite que os dispositivos tenham a capacidade de aprender, deliberar, decidir e perceber de forma inteligente.

Sua principal característica é a capacidade de realizar análises preditivas, estabelecer relações, encontrar novos padrões e recombinar o sistema de forma a atender essas novas situações. Um exemplo deste conceito está relacionado ao uso de softwares de gestão empresarial, que oferecem as melhores soluções para os problemas surgidos no sistema.

Já o Machine Learning (Aprendizado de Máquina) é uma subárea da Inteligência Artificial. Por meio destes recursos de aprendizagem, pode-se analisar os bancos de dados existentes sem o uso de intervenção humana. Essa tecnologia não necessita de reprogramação, já que aprende consigo as mudanças de parâmetros encontrados nos inputs.

Um exemplo de sua aplicação é o funcionamento do aplicativo Waze. Por meio de inputs gerados pelos usuários, ele determina qual é a melhor rota entre os dois trajetos solicitados. Quando são informados acidentes, congestionamentos ou demais impedimentos, o próprio sistema reprograma a rota, reencaminhando os condutores.

Assim, podemos observar que Inteligência Artificial, RPA e Machine Learning são conceitos complementares. Quando utilizadas em conjunto, permitem otimizar consideravelmente os processos operacionais da empresa.

O RPA se dedica a realização dos processos repetitivos, enquanto o Machine Learning, com base na Inteligência Artificial, analisa os novos inputs, oferecendo soluções rápidas, precisas e inteligentes, sem a necessidade de mudança nos parâmetros dos algoritmos.

Por isso, é essencial utilizar soluções que contemplem estes três conceitos, de forma a garantir maior eficiência, aumento de produtividade e redução de custos na realização dos procedimentos empresariais.

Gostou do nosso artigo sobre Robotic Process Automation? Então, saiba que outra tecnologia útil na área dos negócios e que auxilia a potencializar os processos produtivos é a Internet of Things. Saiba mais sobre ela em nosso artigo e se atualize sobre o assunto!

rpa-robotic-process-automation-o-que-e-qual-seu-objetivo-e-mais.jpeg