Saiba como migrar o SAP on premise para cloud e o banco de dados tradicional para HANA 

As evoluções tecnológicas permitem a melhoria dos processos empresariais, reduções de custos, maximização de resultados e possibilidade de potencializar as funções exercidas na empresa.

Porém, muitas vezes demanda-se esforços de migração entre tecnologias, a fim de continuar sempre com o melhor em sua empresa.

Por exemplo, a migração do SAP On Premise para a nuvem é uma realidade, e as empresas que não optarem por isso poderão perder vantagens competitivas consideráveis e eficiência a longo prazo.

Continue lendo e entenda o que é o SAP On Premise, porque é necessário realizar a migração e como realizar o processo de forma segura.

O que é cloud computing e quais são suas principais características?

Antes de começarmos a falar sobre as migrações do SAP On Premise para nuvem, vamos explicar um pouco sobre cloud computing e suas características. Isso é importante porque essa é uma das bases da solução SAP e compreender seu funcionamento é essencial para decider se é, de fato, algo que trará benefícios para o seu negócio.

Cloud computing diz respeito ao uso de memória, servidores e recursos compartilhados por meio da internet, por meio do princípio da computação em grade. Assim, dados, informações e serviços podem ser acessados a qualquer hora, a partir de qualquer máquina, sem o uso de softwares específicos instalados em máquina para isso.

Suas principais características são:

·        self-service on demand: ter serviços disponíveis sob demanda;

·        network access: o usuário deve ter capacidade de acessar as informações, dados e recursos a partir de qualquer máquina, qualquer hora e lugar;

·        resource pooling: permite diversos usuários a acessarem o “pool” ao mesmo tempo;

·        elasticidade: possibilidade de conseguir potencializar os recursos necessários em relativo curto espaço de tempo.

Escotta | Sua infraestrutura te deixa na mão? Fique tranquilo com a Escotta

Quais são os benefícios de investir em cloud computing?

O cloud computing é uma tendência forte para os próximos anos, de forma a se tornar uma realidade em todas as empresas. Aquelas que não implementarem soluções em nuvem começarão a sentir os impactos, tanto financeiros quanto de imagem da empresa no mercado.

Isto porque há uma série de benefícios na implementação de soluções baseadas nesse tipo de computação, tais como:

·        redução de custos: não há necessidade de aquisição de hardwares, bem como economiza na contratação de helpdesks;

·        flexibilidade: a empresa pode trabalhar com sistema de flexibilização, já que as informações, dados e recursos podem ser acessados a partir de qualquer máquina;

·        portabilidade: pode-se movimentar arquivos mais facilmente, bem como realizar backups em nuvem, que tendem a ser mais seguros para a organização;

·        sustentabilidade: possibilidade de economizar em cópias físicas, quando poderá realizar o arquivamento das informações, bem como manter sua disponibilidade constante, por meio das soluções em nuvem;

·        otimização da área de TI: não sendo necessário vigiar a infraestrutura física constantemente, os gestores da área podem se dedicar a outras questões e soluções importantes para a empresa.

O que é o SAP On Premise e quais são suas principais características?

Agora, torna-se necessário compreender o que é o SAP On Premise, suas características e entender porque a sua migração para cloud é essencial.

O SAP On Premise refere-se a instalações que são executadas internamente, ou seja, a aplicação executa nos servidores fisicamente presentes na organização (tipicamente conhecidos como data center).

Entre as características deste modelo está a necessidade de compra de armários de rack, servidores, firewall, cabeamentos e storage. Desta forma, para comportar todos estes equipamentos, é necessário também disponibilidade de espaço físico na empresa e uma série de medidas de segurança.

Além disso, o uso de sistema on premise demanda a aquisição de hardwares que já atendam os momentos de pico para as projeções futuras, exigindo um alto investimento de entrada (CAPEX vs OPEX).

Database tradicional x HANA: diferenças entre eles

O banco de dados HANA se diferencia dos tradicionais sobretudo pela tecnologia in-memory.

Enquanto o banco HANA se destaca por utilizar uma arquitetura diferenciada e otimizada para rodar em memória, o que garante uma velocidade muito superior e também a possibilidade de compactação dos dados, os bancos tradicionais trabalham com arquiteturas que necessitam mais acessos a disco, tornando as operações mais lentas.

Em relação ao volume de dados, é importante frisar que as informações crescem exponencialmente todos os dias, tornando necessário atualização na capacidade de armazenamento rotineiramente. Neste sentido, o HANA também oferece uma vantagem, visto que possui um poder superior de compactação, devido a forma como armazena e trabalha com os dados.

De que forma eles têm sido utilizados? 

A utilização on premise era feita em larga escala pois não havia outras opções disponíveis no mercado. Porém, com o surgimento e evolução das soluções on Cloud, essa tendência está mudando.

O banco de dados tradicional e o uso do SAP On Premise estão em tendência de se tornarem obsoletos no mundo SAP. Isto porque, como pode-se perceber pelo o que explicamos, há altos custos envolvidos no uso desses sistemas, sobretudo no que diz respeito à aquisição, escalabilidade e manutenção.

Caso as empresas não se adaptem a esta realidade, as funções  centrais do negócio podem ser comprometidas, podendo causar até mesmo paralisação dos serviços e prejuízos, em última instância.

Além disto, deve-se planejar a mudança para tecnologias mais ágeis e eficientes como o SAP HANA (Plataforma de Banco de Dados In Memory), que permite a simplificação do ambiente de TI e proporcionar uma maior inteligência de negócios.

Por que o SAP On Premise tem sido migrado para Cloud?

As principais razões pelas quais há a migração para os sistemas cloud são a diminuição dos custos, flexibilidade e agilidade. Isto porque o uso on premise exige um investimento de entrada alto em máquinas de alta performance, que atendam o crescimento futuro (as vezes imprevisível) e podem demorar para serem instaladas e entregues. Desta forma, nem sempre se utiliza toda a capacidade do recursos adquiridos e o investimento não apresenta um bom custo x benefício.

Em complemento a aquisição de máquinas robustas, os custos de manutenção e monitoramento delas é elevado, o que proporciona não só a dedicação de recursos para isso, mas também a contratação de funcionários especializados para essa função.

Além disso, a dependência de dispositivos físicos potencializa os riscos de sofrer prejuízos com desastres originados de furtos, incêndios, inundações, desabamentos e falta de energia elétrica. Conhecendo estes desafios, os provedores de soluções cloud possuem todo conhecimento e instalações realizadas de maneira a reduzir drasticamente estes riscos, contando com contingências mesmo caso desastres ocorram.

Todos esses valores que seriam gastos no cenário on-premise, para possuir um datacenter similar a cloud, poderiam ser melhor aproveitados investindo em outras áreas,  ajudando a potencializar a rentabilidade do negócio.

Então, para as empresas que não tenham como investir em data centers mais seguros, a opção pelo Cloud é uma das melhores, já que as empresas responsáveis investem neste tipo de segurança, com sistemas minuciosamente pensados para evitar problemas.

Como fazer essas migrações e quais os principais benefícios disso?

Uma das formas mais seguras de realizar as migrações que citamos anteriormente é por meio de serviço técnico especializado, já que é necessário não só domínio técnico, mas estratégias importantes para que seja feito da melhor forma.

Isto porque a substituição exige uma parada dos sistemas e, portanto, é necessário minimizar o tempo de migração sem perder eficiência nos processos da empresa.

Além disso, os riscos são altos no processo de migração quando não são feitos com a consultoria de profissionais especializados. Eles realizarão análises de impacto, de forma a minimizar os riscos de danos posteriores com a migração. Isso garante menor chance de perdas produtivas e de dados nos procedimentos de migração.

Outro ponto que ressalta a necessidade em utilizar uma empresa especializada para essa ação é a possibilidade de contar com o monitoramento para administrar os serviços na nuvem e garantir um serviço de infraestrutura especializado.

Um dos principais benefícios disto é diminuir os custos internos com manutenção, bem como a redução de erros no uso dos serviços na nuvem.

Deve-se ressaltar que as migrações devem ser feitas em conjunto, como uma forma de agilizar o processo, evitar perdas produtivas e padronizar a forma de operação da empresa. Isso gera redução de custos, de forma que os recursos podem ser direcionados para outros serviços especializados.

Assim, é necessário realizar um planejamento prévio para a migração dos sistemas, de maneira a minimizar os impactos de parada para a migração e garantir que a retomada da operação ocorra da maneira mais transparente e suave o possível.

A migração do SAP On Premise para Cloud será uma realidade para todas as empresas — a partir de 2025, a SAP passará a dar suporte apenas para o banco de dados desenvolvidos por eles, sendo necessário se atentar à atualização a fim de acompanhar o ritmo do mercado nessa área.

Se deseja começar a migração agora, entre em contato com a Escotta e tire suas dúvidas sobre o assunto.

Escotta | Sua infraestrutura te deixa na mão? Fique tranquilo com a Escotta
Conheça os serviços de infraestrutura SAPO guia definitivo sobre SAP Inbound